Apple aposenta iPod depois de 20 anos; relembre a história do tocador

A Apple vai aposentar de vez o iPod, seu famoso tocador de áudio e vídeo. A fabricante comunicou nesta terça-feira (10) que o aparelho ficará disponível somente até acabarem os estoques.

Há 20 anos, quando foi lançado, o iPod representou uma grande mudança na forma como as pessoas ouviam música, mas já não tinha o mesmo apelo desde a popularização dos smartphones e dos streaming de música. Segundo a Apple, o melhor jeito de ouvir música agora é pelo iPhone, lançado em 2007, que integrou a experiência do seu predecessor.

A versão mais recente do iPod, que sairá de linha, foi lançada em 2019. Ela tem tela sensível ao toque e suporta a App Store e os aplicativos FaceTime e Mensagens. Esses serviços são executados por meio de conexão wi-fi.

A 7ª geração do iPod touch conta com tela de 4 polegadas – no original, eram 2. O iPhone 13 Pro Max, o mais avançado da Apple atualmente, tem tela de 6,7 polegadas.



Quais são os modelos do iPod?
Em 20 anos, o aparelho da Apple teve vários modelos, sendo que alguns deles tinham o objetivo de armazenar mais músicas e outros, de serem mais compactos. O dispositivo contou com cinco versões principais:

iPod classic: o modelo mais conhecido recebeu seis gerações e chegou a ter 160 GB de armazenamento na última versão, lançada em 2007;
iPod mini: lançado como uma versão ainda mais compacta, teve duas gerações, sendo a última apresentada em 2005;
iPod nano: o aparelho substituiu a versão “mini”, teve sete gerações e a última versão, lançada em 2012, tem tela de 2,5 polegadas e 16 GB de armazenamento;
iPod shuffle: a linha teve quatro gerações, foi a única a não ter tela e, como o nome indica, tocava músicas no modo aleatório;
iPod touch: a linha lançada em 2007 foi a primeira com tela sensível ao toque, acabando com a necessidade do botão circular.
Como eram os primeiros iPod?
A primeira geração do iPod deu início ao design com uma pequena tela e um botão circular, que se tornaria a marca da linha batizada de “classic” a partir de 2007.



O modelo lançado em 2001 tinha duas opções de armazenamento: 5 GB e 10 GB. Para se ter uma ideia, a versão mais recente do tocador chega a 256 GB.

Inicialmente, usuários do iPod precisavam ter um Mac, o computador da Apple, para importar músicas pelo iTunes, gerenciador de arquivos de música criado pela empresa em janeiro de 2001.

A opção de importar músicas pelo Windows só surgiu na segunda geração, por meio de um programa alternativo, chamado Musicmatch. O suporte se estabeleceu na terceira geração, de 2003, quando o iTunes ganhou uma versão para o sistema da Microsoft.



Também em 2003, os usuários ganharam a opção de incluir músicas no iPod ao comprá-las na iTunes Store, loja virtual da Apple em que cada faixa custava US$ 0,99. O serviço foi lançado no Brasil apenas em 2011.

Se hoje o padrão é usar um serviço de streaming para ouvir quantas músicas quiser, à época, o iTunes representou um grande avanço para usuários: a partir dele, tornou-se possível comprar apenas uma música, e não o CD inteiro de um artista.

Na quarta geração, de 2004, o iPod ganhou tela colorida e um novo botão de controle. Àquela altura, o espaço de armazenamento chegava a 60 GB. Na edição seguinte, de 2007, o aparelho começou a suportar vídeos, aumentou a tela e chegou a 80 GB de armazenamento.



A sexta geração foi a que adotou o termo “classic”: o modelo tinha acabamento em alumínio e contava com versões de 80 GB, 120 GB e 160 GB. Ele foi o último dessa categoria e, nos anos seguintes, o iPod passou a ter apenas as versões “nano”, “shuffle” e “touch”.




Deixe uma resposta