Pix fora do ar: no Nubank, Itaú e outros bancos

Pix caiu: o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central não funciona para alguns clientes nesta quinta-feira (11). O problema, que já está sendo resolvido, não ficou limitado a apenas uma instituição financeira: não havia como fazer transferências no Nubank, Itaú, Bradesco, Caixa, Banco do Brasil, Next, PicPay, entre outros. Enquanto isso, as transações que já haviam sido realizadas demoravam mais de uma hora para serem confirmadas – o normal é até 10 segundos.


Por que o Pix caiu hoje?

Testamos fazer um Pix por volta das 13h (horário de Brasília) em diferentes apps de banco, mas nos deparamos com mensagens de erro. “Pagamento rejeitado pelo PSP do recebedor”, avisava o Itaú; “algo deu errado”, diziam PicPay e Bradesco. Na Caixa, aparecia o seguinte: “sistema temporariamente indisponível”.




Enquanto isso, o Nubank é mais direto e diz no aplicativo: “Pix fora do ar, faça transferências por TED”.

O Nubank informa que às 11:50 horas de hoje, 11 de fevereiro, identificou oscilações na RTM (Rede de Telecomunicações para o Mercado Financeiro), o provedor de conexão com o Banco Central. Esse fato impediu temporariamente o acesso dos clientes a algumas funcionalidades, como pagamento de boletos e realização de transferências via TED e Pix.




O Nubank ressalta que está em contato constante com o provedor de conexão com o Banco Central e acionou outros provedores para mitigar o impacto. Como o sistema é utilizado por todas as instituições que adotam o meio de pagamento, a expectativa é que as funcionalidades voltem à normalidade rapidamente.





Repetimos o teste às 14h45: Itaú, Caixa, BB, PicPay e Bradesco estavam funcionando normalmente; o Nubank ainda exibia a mensagem pedindo para fazer um TED (que também é gratuito).

Às 16h05, o Banco Central nos enviou o seguinte comunicado: “o Pix está funcionando normalmente; instituições podem pontualmente passar por intercorrências na operação, como acontece com outros sistemas e meios de pagamento”.


 

Deixe uma resposta