Bolsonaro indica prorrogação do auxílio emergencial: “acho que vai ter”

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu hoje um sinal mais claro de que seu governo está trabalhando para definir a prorrogação da auxílio emergencial, que terminou no final de 2020, embora algumas parcelas do ano passado ainda tenham sido pagas no final de janeiro deste ano . Questionado sobre uma nova onda de parcelas do benefício, Bolsonaro indicou que a tendência é que o auxílio seja reativado em breve.

“Eu acho que vai ter, vai ter uma prorrogação”, afirmou o presidente em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, na TV Bandeirantes.




Pouco antes, Bolsonaro já havia dito que o ministro da Economia, Paulo Guedes, trabalha com a ideia de alinhar o projeto de extensão do auxílio emergencial caso a economia continue derrapando por conta da pandemia do covid-19, que vive atualmente uma segunda onda no país.

“O Paulo Guedes tem dito, se a pandemia continuar e a economia não pegar, vamos discutir para ontem a prorrogação do auxílio emergencial”, afirmou o presidente.




O valor do benefício deve ser menor do que as parcelas que foram pagas em 2020, de R$ 600 e a seguir R$ 300. A hipótese que vem ganhando mais força é pagar R$ 200 por mais três meses. O valor é o mesmo que o governo federal pretendia ajudar no início da pandemia, em março do ano passado, até que o Congresso Nacional aprovasse um projeto de R$ 600.

Deixe uma resposta