Quem foi Mestre Manuel Eudócio? História e origem

Considerado o último discípulo do Mestre Vitalino, Manuel Eudócio Rodrigues foi um dos maiores artistas da arte popular de sua época. Nascido em 1931, foi criado durante toda sua vida no município do Alto do Moura, em Caruaru, Agreste de Pernambuco. Seu primeiro contato com o barro se deu ainda na infância, junto dos seus familiares, que confeccionavam peças utilitárias, como panelas, potes e jarros. Ele, porém, modelava o barro para fazer seus próprios brinquedos.






Um dos maiores marcos na vida do Mestre Manuel Eudócio foi em 1948, ano em que conheceu o famoso Mestre Vitalino. Juntos com Zé do Caboclo, os três começaram a produzir esculturas em barro natural. Manuel sempre gostou de retratar em suas criações a cultura popular nordestina, como os cangaceiros, Lampião e Maria e Bonita, o casamento na roça e outros, mas nunca escondeu a sua verdadeira paixão: os bois. Eles, sem dúvida, se tornaram o verdadeiro ícone de sua carreira.






Mestre Eudócio faleceu em 13 de fevereiro de 2016, aos 85 anos, porém seu legado permanece firme e forte com três dos seus nove filhos. José Silvano, Luiz Carlos e Ademilson Rodrigues são os responsáveis por manterem vivo o legado do patriarca. Através do barro, as peças dele são conhecidas em todo Brasil e também no exterior. No entanto, o maior orgulho da vida deles é dar continuidade ao trabalho que foi iniciado pelo pai.

José Silvano, Luiz Carlos e Ademilson Rodrigues




“Gosto de focar bem na cultura, na tradição, naquilo que era dele, que ele criou e que ele mais gostava de fazer. Isso me inspira e me deixa com ainda mais vontade de trabalhar. Tenho minhas próprias criações, mas nunca fujo das nossas raízes, daquilo que é nosso. Trabalhamos em cima disso”, alega Ademilson Rodrigues.

As peças de Eudócio, e hoje as dos seus filhos, depois de manipuladas são queimadas em um forno. Por fim, são decoradas com tinha óleo, brilhosa ou fosca. Ainda em vida, o trabalho do mestre ficou conhecido em todo Brasil, principalmente no Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia, além, claro, de Pernambuco. No exterior, ele teve suas peças na Alemanha, França, Portugal e Estados Unidos.




O reconhecimento de Eudócio foi tão grande que sua peça “Família de Retirantes” foi presenteada ao Papa Bento XVI pelo ex-presidente Lula. No ano de 2005, ele foi homenageado na Sala do Artista Popular do Museu do Folclore do Rio de Janeiro com a exposição “Manuel Eudócio – Patrimônio Vivo”, e também recebeu uma justa homenagem na Feira Brasileira de Artesanato (Febrarte), no Recife.

“Família de Retirantes”. Presenteada ao Papa Bento XVI pelo ex-presidente Lula



No ano de 2017, a Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte) rendeu mais uma homenagem ao mestre. Na Fenearte, inclusive, ele e seus filhos já integraram por vários anos a Alameda dos Mestres do evento, que é considerado o maior no segmento artesanal em toda América Latina.

Ceça Ricarte

Ceça Ricarte - Jornalista de formação, com mais de 15 anos de experiência, nas mais diversas áreas que o Jornalismo se propõe. Natural de Recife, mas que escolheu Caruaru para amar e viver! Entre idas e vindas, está fixa na Capital do Forró há 12 anos.

One thought on “Quem foi Mestre Manuel Eudócio? História e origem

  • 19 de abril de 2021 em 10:35 am
    Permalink

    Conhecer o Mestre Manuel Eudócio foi a minha maior e melhor experiência com a arte do Barro e com o ser humano sem soberba mas bastante consciente do seu valor artístico, que contava com simplicidade e riqueza de detalhes todo trajeto que fez dele um ícone da arte de Artesão do Barro, deixando ainda os filhos que trabalham no mesmo ramo, sendo Ademilson Eudóxio o que se mantém mais fiel a sua linha e estilo. O que nos decepciona é todo acervo, a casa, o ateliê, enfim o maior patrimônio cultural de um artista caruaruense com inúmeras peças de um Artista da terra com reconhecimento nacional e internacional não pertencer mais a nossa cidade de Caruaru.

    Em 18/04/2021

    Tereza Cristina Batista

    Resposta

Deixe uma resposta