Dia 26 de abril é comemorado o Dia Nacional de Combate à Hipertensão: Cardiologista explica cinco fatos sobre a doença que afeta 40% da população

No dia 26 de abril comemora-se o Dia Nacional de Combate à Hipertensão ou popularmente conhecida como pressão alta, doença silenciosa que afeta cerca de 30 a 40% dos brasileiros acima dos 18 anos.

 

Para a Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro, essa enfermidade é causada quando a força do sangue contra as artérias (vasos sanguíneos) é muito alta e dificulta a circulação. Por raramente apresentar sinais e sintomas de imediato é chamada de matador silencioso.

 

O gestor de cardiologia da Unidade Coronariana do Hospital Icaraí, Dr. Claudio Catharina tira uma série de dúvidas e mitos sobre a doença que se não tratada pode acarretar sérias complicações, como por exemplo a aterosclerose.




1 – Criança pode ter problema de hipertensão arterial?

 

Sim, pode. Apesar de não ser muito comum nessa faixa etária, a origem da enfermidade é geralmente de causa secundária, ou seja, ela pode estar relacionada a alguma doença que essa criança tenha. Como exemplos podemos citar a obesidade infantil, uma das causas muito frequentes da hipertensão, as doenças metabólicas e endocrinológicas como diabetes, doenças das glândulas supra renais e as doenças renais como as glomerulopatias da infância.

 

 

2 – Pessoas magras podem ter hipertensão?

 

Sim. A hipertensão arterial não é uma enfermidade exclusiva da obesidade. Mas é claro que o sobrepeso e a obesidade ajudam a aumentar o risco e acabam trazendo diabetes e doenças vasculares. Mas os indivíduos magros também podem ter hipertensão.

 

3 – Qual o tratamento indicado para a hipertensão?



 

O tratamento não farmacológico inclui a prática de exercício físico regular, dieta com pouco sal e o controle do peso, medidas chamadas de higienodietéticas do tratamento da hipertensão. Além disso, fumantes devem parar de fumar, pessoas estressadas devem procurar atividades que ajudam a relaxar como o yoga, o tai chi chuan , acupuntura etc. e é claro, evitar a ingestão de sal em excesso. Esse produto é um grande vilão da hipertensão.

O consumo moderado de álcool tbm é recomendado. Mas fica o alerta: retirar totalmente o sal da comida não costuma ser a única medida de tratamento da doença, apenas ajuda no controle e prevenção.

 

4 – A hipertensão arterial tem cura?

Em geral não. É uma doença crônica e não-transmissível que precisa ser tratada para o resto da vida do paciente. Ela pode ter fases melhores e fases mais difíceis devido a intercorrências clínicas e momentos da vida da pessoa, até mesmo o uso de outras medicações que a pessoa precise tomar como anti-inflamatórios, por exemplo, ou em casos específicos como abandono do tratamento, stress, uso do cigarro etc. Quando a origem da hipertensão é devido a uma causa secundária como obesidade ou doença endocrinológica relativa à glândula supra renal, doença obstrutiva das artérias dos rins ou um tumor neuro endócrino, essa hipertensão pode ser revertida. Mas na maioria dos casos, a causa da hipertensão arterial é primária, como uma herança familiar.




5 – No caso de pessoas com caso da doença na família, qual deve ser o procedimento?

 

A história familiar de hipertensão representa um fator de risco muito grande para o indivíduo em sua fase adulta. A prevenção com as medidas já ditas acima é fundamental para minimizar o risco de desenvolver a doença ou pelo menos que ela não se instale de forma mais precoce. A partir da idade de 40 anos é preciso ficar alerta e visitar o clínico geral ou médico de família ou o ginecologista no caso das mulheres.



Deixe uma resposta