Conheça as famosas Feiras de Caruaru

Um dos ícones da cultura popular de Pernambuco é a Feira de Caruaru, localizada no Parque 18 de maio e seu entorno. Considerada pelo IPHAN, em 2006, Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro, figura como uma das mais importantes feiras do Brasil. Cantada em verso e prosa, a Feira de Caruaru resguarda diversos aspectos de nossa cultura: arte, literatura, música, gastronomia, modos e costumes. Em seu entorno, desenvolvem-se outras feiras – que atendem à população local e a cidades vizinhas. Além da Feira de Artesanato, encontramos a Feira de Importados, de Raízes e Ervas Medicinais, de Flores e Plantas Ornamentais, de Couro, de Bolos, Gomas e Doces, de Ferragens, de Artigos de cama, mesa e banho, e outras.

Os 14 segmentos da feira são divididos em setores e, entre eles, os principais são:




Feira de Artesanato: com mais de 400 comerciantes que comercializam produtos de manufatura artesanal como o barro, o couro, bordados, brinquedos populares e todo tipo de artesanato produzido na região. Tem também o setor de comidas de feira para quem quer provar a culinária local, onde sarapatel, buchada, bode, carne de sol e outras delícias regionais são servidos num ambiente simples e com preços bem convidativos.

Feira Livre: comércio de frutas, verduras, flores, raízes e ervas, mercado da farinha, goma, mercado de carnes, flandres, panelas, utensílios e outros. Há também o setor de roupas, confecções e acessórios.






Feira dos Importados: Com uma grande variedade de roupas, calçados e produtos eletrônicos copiados de grandes marcas, a feira dos importados ocupa uma área significativa na grande Feira de Caruaru.

Feira da Sulanca: A Feira da Sulanca é uma feira que surgiu, inicialmente, na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, a 56 Km de Caruaru, a partir dos retalhos de helanca trazidos da cidade de São Paulo. O local onde surgiu o primeiro movimento de vendas, hoje denominado Sulanca, foi exatamente na esquina entre a Rua Siqueira Campos e a Av. João Francisco Aragão. O termo sulanca, durante muito tempo, ficou conhecido como termo pejorativo para roupa de baixa qualidade e, consequentemente, a Feira da Sulanca também acompanhou, durante muitos anos, esse estigma. Hoje, funciona como uma espécie de atacado para centenas de pequenos comerciantes de outras cidades, que chegam em ônibus fretados especialmente para a feira, vindos de diversas partes do Brasil.






Curiosidade:

Feira do Gado: Devido à proporção que ganhou, foi transferida para as imediações do aeroporto, local próximo do matadouro público municipal. A feira é um encontro de negócios dos pecuaristas de cidades vizinhas e de outros Estados e, além do gado, outros animais são comercializados, tais como: cavalos, cabras, bodes e outros animais de pequeno porte para abate ou criação.





Ceça Ricarte

Ceça Ricarte - Jornalista de formação, com mais de 15 anos de experiência, nas mais diversas áreas que o Jornalismo se propõe. Natural de Recife, mas que escolheu Caruaru para amar e viver! Entre idas e vindas, está fixa na Capital do Forró há 12 anos.

Deixe uma resposta