Rua da Má Fama conhecida no Brasil inteiro

A cidade de Caruaru vem sendo muito citada dentro do programa Big Brother Brasil, após o pernambucano Gilberto Nogueira, o Gil do Vigor, falar em várias conversas que sempre frequentou a cidade. O bate-papo mais recente que viralizou foi sobre a Rua da Má Fama, codinome da Rua Silvino Macedo, no bairro Maurício de Nassau.

O espaço é repleto de bares, pub’s, restaurantes e lojas e já foi, durante mais de 10 anos, responsável pela diversão noturna da cidade, reduto de jovens de todas as idades. A diversidade era outra marca do local: nada de preconceitos. Gente de todas as tribos, ritmos, ideologias, orientações sexuais e etnias, que ignoravam as diferenças para se divertir.




Às quartas-feiras eram famosas no Circo 93, com muita música, dança e clones de bebidas; nas quintas, a Mercearia Ponta de Rua fazia todo mundo virar poeta e declamar grandes obras e também poemas autorais dentro do “Poetas de Quinta”; nas sextas sempre tinha um happy-hour com sushi, na Estação Florêncio ou batata recheada no restaurante Casablanca. No sábado, não importava o bar que você estivesse, todo mundo se encontrava no meio da rua mesmo para colocar o papo em dia com os amigos, pois todos estavam sempre por lá. Na rua da Má Fama tinha igreja e cabaré convivendo no mesmo espaço, sem desrespeitar as escolhas de cada um.

Na Silvino Macedo, além das atrações já conhecidas, até o poder público entendeu a importância do espaço e logo a prefeitura do município investiu na Rua da Má Fama em épocas como Semana Santa e São João, criando polos específicos para quem buscava algo mais  alternativo. Também criou o “Flor&Ser”, uma parceria entre moradores, donos de estabelecimentos e Fundação de Cultura e Turismo (FCTC), que tinha o objetivo de tornar o lugar um espaço de lazer para toda a família.

Mas como tudo que fica badalado ganha a vista não apenas das pessoas que buscam se divertir, o espaço também passou a ser alvo de quem busca opções de praticar o mal. A rua da Má Fama começou a registrar denúncias de perturbação de sossego, assaltos, furtos e até homicídios. Entrou na mira do Ministério Público (MPPE) e da Polícia Militar (PM).




Muitos bares e restaurantes que faziam sucesso no auge da Má Fama fecharam as portas e o público que passou a frequentar o lugar mudou completamente. Alguns restaurantes ainda resistem, mas o medo passou a tomar conta da diversão e da diversidade.

Com mais de um ano de pandemia ainda não dá pra prever qual será o futuro da Má Fama e se os poderes públicos vão interver para fazer o espaço voltar a ser o que já foi um dia. A única coisa certa é: no passado foi bom e só sabe, quem viveu!




 

Deixe uma resposta