Fundarpe realiza encontro para tirar dúvidas sobre o edital Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco

A ação será por meio do Google Meet nesta segunda-feira (11), das 9h às 11h, mediada pela Gerência-Geral de Preservação do Patrimônio Cultural. Edital está na 17ª edição.

A Fundarpe realiza, nesta segunda-feira (11), uma oportunidade virtual para tirar dúvidas sobre o processo de inscrição de candidaturas interessadas em concorrer ao Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco. O encontro será das 9h às 11h, por meio do Google Meet. O link da sala virtual será enviado por e-mail 20 minutos antes do início da atividade. Para se habilitar para participar, clique aqui.

O edital do Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco chega à 17ª edição em 2022 e tem como principal mudança o aumento de 6 para 10 o número de reconhecimentos como Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco. As inscrições devem ser feitas exclusivamente on-line por meio da Plataforma Prosas (www.prosas.com.br).



“O atendimento virtual para orientações sobre o 17º edital de Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco faz parte das ações de formação sobre o edital. A principal mudança para este ano é o aumento de 6 para 10 mestres ou grupos que serão reconhecidos como Patrimônio Vivo”, reforça Marcelo Renan, coordenador de Patrimônio Imaterial da Fundarpe.

Durante o encontro para tirar dúvidas, candidatos e candidatas, entidades proponentes e outros participantes interessados receberão orientações sobre a documentação obrigatória e o processo de inscrição. O atendimento virtual será mediado pela equipe da Gerência-Geral de Preservação do Patrimônio Cultural da Fundarpe.



O concurso Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco é destinado a pessoa física ou jurídica, sem fins lucrativos, de natureza cultural e com comprovada atuação nos segmentos artísticos do Estado há 20 anos ou mais, contados até a data do pedido de inscrição. Promovido pelo Governo de Pernambuco, tem por finalidade viabilizar o apoio financeiro por meio de uma bolsa mensal vitalícia, a fim de preservar os modos de fazer, técnicas e saberes da cultura tradicional e popular pernambucana.



Deixe uma resposta