Bancos de Leite alertam baixo estoque e pedem doações

O Complexo Hospitalar do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), no Recife, anunciou que está com baixo estoque de leite. A instituição participa da Semana Nacional de Doação de Leite Humano, junto com bancos de leite de todo o Brasil, para incentivar a doação. De acordo com o IMIP, cerca de  120 recém-nascidos, prematuros, internados na UTI neonatal da instituição são atendidos, dos quais são necessários em torno de 400 litros de leite por mês. A rede estadual de saúde também sinalizou sobre a diminuição das doações nos serviços.




“Se essa mulher tiver muito leite e estiver sadia, é muito importante que ela mantenha a doação de leite humano da mesma forma que vinha fazendo. Caso ela esteja com uma gripe comum, qualquer doença, ou até a Covid-19, a doação deverá ser interrompida. A gente apela para que as mães sadias continuem doando leite humano para o Banco de Leite, pois estamos com baixo estoque”, explicou a coordenadora do Banco de Leite do IMIP, Vilneide Braga.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), com a pandemia, enquanto em 2019 Pernambuco distribuiu 10.636 litros de leite, com a doação de 7.158 mulheres, em todo o ano de 2020, foram 7.713 litros distribuídos, com o quantitativo de 6.454 doadoras.




“Os bancos de leite nunca pararam de funcionar na pandemia, mas as doações caíram bastante. Muitas mulheres preferiram não sair de casa para não se expor, algumas adoeceram com a própria Covid, enquanto outras passaram por questões difíceis causadas pela própria situação atípica.  É importante, no entanto, que as mães saibam que os serviços estão seguindo todos os protocolos de segurança das autoridades sanitárias para evitar a transmissão da Covid-19, trabalhando com a preocupação em garantir a biossegurança das atividades”, pontua a coordenadora estadual de Aleitamento Materno da SES-PE, Marília Macêdo.




Os bancos de leite instalados nos serviços de saúde são primordiais para a demanda das unidades referência em assistência maternoinfantil.

“O leite humano é essencial para a nutrição dos bebês, principalmente nos primeiros seis meses de vida. Nos hospitais, o alimento doado para os bancos de leite é dispensado para as crianças que estão internadas nas UTIs neonatais. Geralmente, esses bebês são prematuros, ou nasceram com baixo peso, e esse alimento é fundamental para salvar a vida dessas crianças”, reforça Marília.




Como doar
As mulheres lactantes que quiserem doar, podem procurar uma das casas doadoras localizadas em toda Região Metropolitana do Recife. Sob gestão da SES-PE, Pernambuco conta com quatro bancos de leite instalados em serviços de saúde. São eles: o do Hospital Agamenon Magalhães (HAM), no Recife, que conta, atualmente com estoque de 52 litros e consumo diário de 1 litro; o do Barão de Lucena, também na capital pernambucana, que está com estoque de 12 litros, com consumo diário de 500 ml; em Caruaru, no Agreste, o banco de leite do Hospital Jesus Nazareno tem 38 litros de leite no estoque, com consumo diário de 1,6 litros; já no Hospital Dom Malan, em Petrolina, no Sertão do Estado, o estoque conta com 2,1 litros e consumo diário de 1 litro.




Confira a lista de todos os pontos:

Hospital Agamenon Magalhães (3184.1690), Hospital Barão de Lucena (3184.6552), Hospital das Clínicas (2126.3831), Centro Integrado de Saúde Amauri de Medeiros (Cisam – 3182.7720), Maternidade Bandeira Filho (3355.2235), Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira (Imip – 2122-4719), Hospital da Mulher do Recife (2011-0174), Hospital Jesus Nazareno (Caruaru – 3719.9338), Hospital Dom Malan (Petrolina – 87 3202.7000), Hospital Português (3416.1069) e Hospital Unimed (3413-9175).

Há, ainda, quatro postos de coleta de leite, localizados na Maternidade Arnaldo Marques (3355.1815), Maternidade Barros Lima (3355.2169), Uniame (3302.6261) e Hospital Memorial Guararapes (3461.5300).




Ceça Ricarte

Ceça Ricarte - Jornalista de formação, com mais de 15 anos de experiência, nas mais diversas áreas que o Jornalismo se propõe. Natural de Recife, mas que escolheu Caruaru para amar e viver! Entre idas e vindas, está fixa na Capital do Forró há 12 anos.

Deixe uma resposta